Escrever e voltar a escrever.

2.3.15
Hoje no Jornal de Notícias fala-se de voltar a escrever com papel, canetas e selos. Tem sido um hábito nos últimos tempos escrever e retribuir os bonitos postais que me têm chegado e é incrível ver a felicidade de quem recebe um postal na caixa de correio [a minha é grande].
Obrigada por ajudarem a manter este hábito.
Filipa Simões de Freitas


Novo trabalho de branding e web design

10.10.14
São três. Três pessoas que formam uma equipa fantástica pronta a trabalhar com vocês e que eu tenho acompanhado nos últimos meses. Elas têm energia, dedicação e muito para vos oferecer.
Um dos trabalhos mais completos que passou pela LANCE Collective. Tudo começou pela formação no Online Starter, rapidamente passamos à acção e ao desenvolvimento da imagem de marca, ao domínio, aos emails, à estratégia para se fazer o lançamento e ao site.
Tudo foi pensado ao pormenor, todos os materiais respiram a missão da empresa. Com a Três Pontos podem fazer tudo o que seja serviços linguísticos - traduções, conteúdos, formação...
Palavras é com elas - Conheçam a Três Pontos.
Facebook Três Pontos

Crise de Identidade

6.10.14
Acho que não é a primeira mas certamente é a mais forte mas esta "the new girl" já deu o que tinha a dar, aliás já não a aguento :)
Este blog começou pela bond girl depois mudou para the new girl porque teve de mudar rapidamente por isto e por aquilo. E agora acho que este nome já não tem nada a haver com o novo LANCE Collective e logo agora que tenho tanto para escrever no blog, tanto para partilhar... mas vou continuar a passar por aqui contanto algumas coisas mas não se admirem de um dia destes chegarem cá e estar tudo diferente. Não se admirem mesmo.

with love from...

29.9.14
SUSANA
O desafio foi lançado e este é o primeiro postal que me chega. Uma fotografia linda de nada mais nada menos de Portugal, Pinhão. Oh! Como é bom receber Correio.

Nunca pensei fazer isto

26.9.14
Nunca pensei que um dia eu ia fazer um "personal shopping" daqueles que vamos comprar roupa com alguém que sabe mais que nós e que não tem papás na língua para dizer "isso não te fica lá muito bem". Mas esse dia chegou, fui, vesti, despi, experimentei, comprei e vim embora com coisas que sozinha não tinha comprado. Mas começando pelo início... eu tenho uma "panca" sim uma mania parva que quando viajo preciso de comprar um trapinho novo para levar. Um género de terapia antes de viajar para me enquadrar melhor no novo destino.
Antes de embarcar uma semana para a Nação Russa eu e a Ana andámos a planear e a trabalhar em coisas novas e a oportunidade surgiu. Eu disse - "Ana tens de vir comigo comprar roupa para a Russia" - a verdade é que precisava de comprar um casaco quente para me ajudar a suportar o frio russo que por acaso nem apareceu muito por lá.
Resultado, fartei-me de experimentar coisas improváveis e de experimentar que é coisa que raramente faço em lojas. Cheguei à conclusão que estou muito básica, que compro sempre o mesmo género de roupa, que tenho a noção errada de cintura e que afinal basta fazer uns "mixes" do que temos que já parecemos outras. Mas isto não ficou por aqui ainda falta a volta ao roupeiro cá de casa, isso é que vai ser bonito.



Escreves-me um postal?

12.9.14
Quem já me segue há uns tempos sabe que eu sou grande fã de escrever postais, cartas, qualquer coisa. Há por aí muitos que já receberam postais meus :) Gosto de incentivar a escrita, de voltar a usar caneta e papel e deixar o teclado.
Trabalhei alguns anos numa agência de publicidade em Algés e a equipa de designers de lá foi das melhores amizades que fiz, de quem guardo muita saudade. Nós tínhamos uma tradição, aliás já havia quando cheguei lá, todos escreviam postais para a agência quando iam de férias, e já tínhamos uma parede bem gira de postais de todo o mundo. Mesmo quando saí de lá, e outros também, continuámos a manter a tradição (ultimamente confesso que tenho andado a falhar com eles mas vou retomar).
Quem não adora receber correio? Então se for de algum sítio fantástico quase que viajamos também. Estou a 2 dias de embarcar numa nova aventura até a "mother russia" e já levo as moradas comigo, só espero encontrar por lá uns correios, selos e postais.
Mas a questão é: quem quer embarcar neste desafio de voltarmos a enviar postais? Eu escrevo a vocês e vocês escrevem a mim. Humm?
Quem gosta de escrever? Quem gosta de receber correio?

o que há para dizer de 4 dias de cowork?

5.9.14
Tenho vindo a fazer mentalmente um resumo destes últimos dias a jeito de conseguir depois fazer um balanço. Antes mesmo de vir estava um pouco receosa, ponderei até à ultima nem vir com medo de não conseguir gerir o meu tempo e ainda ter que depois trabalhar a noite toda.
Primeiro dia. Chego e sento-me na mesa que penso ser a certa. Dei um olá tímido ao colega da mesa ao lado que ainda não sei como se chama. O ambiente é semelhante a uma biblioteca onde se fala baixo e todos estão no seu quadrado. Olhei à volta, não estava ninguém conhecido por isso não tive outro remédio se não mesmo trabalhar e foi uma manhã super produtiva. Para almoço já tive companhia e as caras conhecidas chegaram. Têm sido as minhas companheiras para me fazerem sentir bem nesta casa nova, mostraram-me os cantos, apresentaram as pessoas o que fez toda a diferença, de facto não estava a trabalhar sozinha. Houve conversa, almoço, café e de volta ao trabalho.
Os dias seguintes.
Já fiz pausa para um café a meio da manhã, dois dedos de conversa e fui conhecer o espaço [afinal havia ainda mais para conhecer] e a Rafa tem sido a minha guia nestes dias, acho que se não fosse ela estava ainda sentada na minha mesa. Apanhei o dia em que fazem um brunch partilhado entre os coworkes, por isso foi bom.
Às vezes meti o phones para me concentrar e voltei a tomar o gosto de ouvir música enquanto trabalho. Percebi que nem sempre é preciso dizer olá ou adeus porque estamos todos a trabalhar e não queremos interromper ninguém e ninguém leva a mal se sairmos de fininho.
Faz-me falta ter as minhas coisas por perto, as canetas, os cadernos, os livros e ter de carregar todos os dias com a tralha toda é chato. Precisei de algumas coisa que não trouxe comigo, o que me faz pensar que tenho de planear o dia na véspera para trazer tudo o que preciso.
Em geral de 4 dias a primeira coisa que penso é que de facto todos estão aqui a trabalhar por isso só me resta fazer o mesmo também :) E estar no Lx Factory dá-me oportunidade de estar todos os dias num sítio onde se passam sempre coisas giras. Há inspiração por todo o lado.
O balanço? Positivo. Voltamos a falar daqui a uma semana :)